• Ops! Cresci

Como lidar com a birra das crianças?



Você já tentou de tudo, mas as birras continuam?


Saiba que você não está sozinha!


A maioria das mães não confessa, mas também sofre com os choramingos e reclamações dos filhos.


Mas será que tem solução??




O primeiro passo é entender por que as crianças fazem birra. “Quando seus filhos choramingam, eles garantem uma boa parte da sua atenção, mesmo que de forma negativa e todos os seres humanos estão ligados a duas necessidades emocionais básicas: pertencimento e significância”, explica Telma Abrahão, educadora parental.


De acordo com a especialista, as crianças não choram com a intenção de irritar seus pais, mas para pedir atenção. Quando as crianças não estão recebendo a quantidade de atenção positiva que precisam, elas começam a buscar essa atenção de maneira negativa. O problema é que, dessa forma, tudo o que conseguem é irritar os pais que, na maioria das vezes, não entendem o recado e acabam se descontrolando ou cedendo às pressões dos filhos.


O simples fato de os pais responderem, mesmo que para repreender os filhos, já é suficiente para alimentar o ciclo vicioso. Isso porque eles sabem que ao repetir o comportamento, terão o mesmo resultado: a atenção negativa dos pais.

Para interromper este ciclo, a especialista dá três dicas:

  1. Faça o seu ‘não’ valer: deixe de dar a atenção negativa e não dê aquilo que estão pedindo no ímpeto de se livrar da angústia do momento. Mantenha o seu ‘não’ de forma firme, sem perder o controle. Quando a birra acontecer, mantenha a calma e deixe que o seu filho lide com a frustração. É importante não ceder para que ele entenda que o choro/birra não mudam a sua decisão.

  2. Não dê atenção negativa: quando você se recusa a dar atenção às birras, você remove a “recompensa” (atenção negativa). Aproveite um momento de calma e diga ao seu filho que, a partir de agora, você não vai responder quando ele pedir algo fazendo birra ou chorando. E deixe claro que, quando ele chegar falando normalmente, sem chorar, você terá prazer em ouvir o que tem a dizer. Em seguida, peça que ele repita como vocês vão conversar de agora em diante e o que você vai fazer, caso ele resolva falar chorando ou fazendo birra. Importante: uma vez dado este passo, você deve se manter firme nesse caminho para conseguir os resultados.

  3. Dê atenção positiva de forma proativa: para que as etapas anteriores funcionem, você precisará dar atenção positiva para atender às necessidades emocionais do seu filho. Para isso, tire pelo menos 30 minutos de tempo de qualidade todos os dias com cada criança. Se forem crianças pequenas, o tempo deverá ser muito maior do que isso.

Nesse tempo, os pais podem jogar o jogo favorito, brincar de bola ou fazer qualquer outra coisa que a criança goste de fazer. Durante esse tempo especial com cada um, o celular deve ficar de lado e as tarefas de casa devem ser esquecidas. E a boa notícia é que, ao investir nessa conexão, os pais preenchem a necessidade de atenção dos filhos de forma positiva e proativa, fazendo com que eles se tornem mais cooperativos e menos propensos às birras como forma de chamar atenção.


“A verdade é que as crianças só continuam com os comportamentos que funcionam para elas. Quando as crianças choramingam e os pais cedem, elas percebem que as reclamações dão o que querem, seja a atenção que desejam ou aquela barra de chocolate na fila do caixa do supermercado”, reforça a especialista. Para ela, é importante que os pais entendam que ceder às demandas, como só mais um desenho na TV ou outro sorvete, não é a única maneira de recompensar as reclamações dos filhos.

Fonte: Telma Abrahão - Biomédica, educadora parental, autora do Best Seller "Pais que evoluem" (@telma.abrahao)


Redação: Eliene Costa

11 visualizações

Se tiver

alguma dúvida,

entre em contato!

  • White Instagram Icon
  • Branco Facebook Ícone

® Ops! Cresci Atividades de Internet LTDA - CNPJ 26.362.664/0001-94 - Todos os direitos reservados.